A casa

Foto by archdily.com (Pinterest)

Ela não sabia o que sentir. Segue instintivamente uma direção. Não sabia o que estava acontecendo naquele momento tão fatídico. Era tudo tão confuso e estranhamente familiar. Porque ela sabia que algo estava para acontecer, mas não sabia ao certo o quê. Podia sentir, não no peito e nem na cabeça, mas em cada fibra de seu corpo. Era algo que vinha de dentro, mas não era possível dizer ou tentar explicar.

Este estado a fez levar ao seu passado agora organizado. Ela fecha os olhos. Ao abri-los novamente, seu corpo tem onze anos, está com um vestido branco de voil e caminha descalça por toda a casa. Uma casa enorme, embora você olhe por fora e pareça uma casa simples e pequenina. Não se engane, é tão imensa e possui um jardim encantador, uma explosão confusa de cores!! Não, não dá para descrevê-los com tanta precisão assim. A casa é simplesmente magnífica e o jardim é indescritível!!!

Seu caminhar é cuidadoso pela casa. Caminha com respeito sobre aquele piso tão limpo e espelhado. Sente-se abraçada por lembranças reverenciais… Nesse momento ela sussurra para si mesma : “Houve um tempo que essa casa fora um verdadeiro lixo, um profundo caos, literalmente uma verdadeira bagunça. Aqui estou, novamente!”

Sente o piso frio, mas maravilhosamente lindo. A casa está vazia e calma, mas nem sempre foi assim. Houve muito trabalho e muito tempo para que hoje estivesse em harmonia. Todos os períodos de experiências estão organizados em cômodos. O cheiro agora é de frescor e aconchego, mas ainda não tem móveis no interior da casa, o que se vê é apenas uma parede com quadros de fotografias. Era uma obra de arte com fotografias em preto e branco, retratando a vida dela desde o nascimento.

Dá mais alguns passos devagar e entra no cômodo dos seus onze anos. Está organizado e com um pouquinho de pó sobre as caixas de lembranças. Senta-se em sua cadeira de balanço com uma das caixas no seu colo, limpa o pó com um paninho colorido como o arco-íris.

Logo ela fará doze anos. Está apaixonada pelo moço do outro lado da rua, continua estudando com dedicação, seu corpo está em fase de transformações, dá para notar sua intensidade e seu espírito selvagem. São tantas sensações aflorando!! Sua mente começa a se agitar… Quando… de repente, alguém a chama… é uma amiga muito especial e inseparável. Ela se aproxima da porta e pede para entrar. Ela é sempre tão educada e gentil. Ao entrar senta-se no banquinho ao lado dela e abre um grande sorriso afetuoso. É impossível não ficar à vontade com ela!

Elas abrem a caixa. O que será que tem dentro? As duas fecham os olhos para ver. Elas sentem o cheiro de aventura, o cheiro das casas onde menina morou, cheiro de grama, de terra e de água… sonhos, alegrias, desafios, tristezas, pequenas e frágeis esperanças, amor, coragem, dor, medo, separações, insegurança, fé… Uma jornada!! Uma incrível jornada!!

Autora: Paula Gouveia


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s